segunda-feira, 15 de Setembro de 2014

Geleia de laranja


12 laranjas
1 Kg de açúcar
1 copo de água

Tire a casca das laranjas e corte em tirinhas finas
Faça o suco das laranjas
Aproveite a polpa.
Coloque na panela as tirinhas, o suco, a polpa, o açúcar e a água e deixe ferver em fogo baixo até engrossar
A geléia estará pronta quando levantar uma espuma e ficar com brilho.

Com a geleia pronta é só armazena-la em potes de vidro previamente esterilizados e guardar na geladeira. Essa receita rende quase 1 kg e dura por meses na geladeira.

Dica: pode retiras as tirinhas de casca e usar para cobrir com chocolate. Delicia!

Arroz à Grega


Ingredientes
2 colheres (sopa) de azeite
2 cháv/xic (chá) de arroz integral demolhado, lavado e escorrido
1 cháv/xic de ervilhas demolhadas
1 pimentão verde pequeno cortado em tirinhas finas
1 pimentão vermelho pequeno cortado em tirinhas finas
1 cenoura cortada em tirinhas finas
3 tabletes de legumes+ 4 cháv/xic de água ou caldo de legumes
1 cháv/xic (chá) de passas ou corintios

Preparação
Aqueça o azeite e refogue o arroz, os pimentões e a cenoura . Adicione p caldo de legumes ou os tablwete dissolvidos em água e as passas. Baixe o lume e deixe cozinhar cerca de 15 minutos, com a panela parcialmente tapada ou até que o arroz seque. Retire do lume e deixe descansar aproximadamente 10 minutos.

Congelamento:
Se desejar, congele o arroz pronto e frio. Embale, etiquete e leve ao congelador/freezer até 3 meses.

sábado, 13 de Setembro de 2014

Estufado de Legumes de Verão


Ingredientes para 2 pessoas:
1 courgete pequena
1 tomate
1 pimento verde
1 cebola
feijão-verde
2 colheres de polpa de tomate
1 colher de sopa de azeite
1 dente de alho
sal e pimenta q.b.
alecrim fresco q.b.
tomilho fresco q.b.
1 colher de chá de oregãos secos

Preparação:
Lave os legumes. Descasque a cebola e corte-a em meias luas. Pique o dente de alho e corte o tomate, o pimento e a courgete em cubinhos.
Leve um tacho ao lume com o azeite e junte a cebola, deixando-a refogar um pouco. Acrescente depois o alho picado, e os restantes legumes em pedaços. Tempere de sal e pimenta e acrescente a polpa de tomate, o tomilho, o alecrim e os oregãos. Misture bem e deixe refogar em lume brando cerca de 20 minutos, acrescentando um pouco de água ou vinho branco se necessário.
Sirva quente ou à temperatura ambiente com pão fresco como entrada, ou para uma refeição simples e deliciosa.

Bom Apetite!

Receita do blog paracozinhar

terça-feira, 9 de Setembro de 2014

Compotas


Compotas Perfeitas:

Fazer compotas não é complicado, dá é um pouco de trabalho, mas é uma excelente maneira de utilizar excesso de fruta, e nem se compara em gosto e textura com as compotas de supermercado, sendo normalmente menos gelatinosas, mais frescas e saborosas, aqui vão uma boas dicas a seguir para criarem excelentes compotas:
É preferível utilizar frutos da época, mas o mais importante é que estejam maduros, também não é preciso ser só um fruto (mesmo que torna todo o processo mais rápido e simples), podem sempre experimentar com combinações de frutos.
A regra deve ser de usar a mesma quantidade de açúcar para a mesma quantidade de fruta, no entanto podem cortar cortar no açúcar se a fruta for muito doce ou se não precisarem que a compota dure muito tempo (o açúcar é essencial para preservar, cortar no açúcar, corta no tempo de duração).
Pôr com a fruta, pau de canela, vagem de baunilha, caroços de limão (estes dentro de um saco para não misturar com a compota), são fantásticos para dar um toque especial á compota, claro não se esqueçam de retirar antes de pôr nos frascos, especialmente a baunilha que pode ser reutilizada.
Deves sempre adicionar o açúcar depois de a fruta estar cozida, antes endurece a fruta, também é preferível utilizar açúcar orgânico ou açúcar refinado, não utilizar açúcar mascavado ou em pó.
Se a compota está muito liquida, normalmente é sinal que precisa de cozinhar mais, também tens de ter atenção a frutos que tenham menos pectina (o componente que gelifica a compota) e logo criam compotas mais liquidas.
É importante esterilizar os frascos e tampas onde se vai condicionar a compota (ou doces, geleias, marmeladas), para isso lava-se os frascos e tampas, depois põe-se durante uns 10min numa panela com muita água a ferver, depois retira-se com uma pinça ou põe-se num pano limpo e seco virados ao contrário até arrefecer e secar.
Enquanto cozinha é importante espumar a compota, isto é retirar a espuma que se vai formando na superfície, usando uma colher ou escumadeira, limpando com água fria.
A compota está pronta quando atingir o ponto estrada, com uma colher tira-se um pouco da compota e faz-se uma linha de compota num prato, espera-se arrefecer e corta-se a linha com o dedo, se ficar dividido então está pronto.
A compota deve ser enfrascada ainda a escaldar, com 1 a 2 centímetros do topo, põe-se logo a tampa e vira-se ao contrário dentro da panela com água ainda quente (não é preciso estar ao lume, quente é o suficiente), isso cria um selo e vácuo natural para a compota, deixar dentro da água até esta arrefecer.
É importante pôr uma pequena etiqueta com o tipo de compota e especialmente a data, especialmente se fizeres compotas normalmente, uma compota bem feita e selada dura entre 6 meses e 1 ano, se estiver guardada num local fresco, seco e com pouca luz.
Depois de aberta, deve ser toda consumida em pouco tempo e guardada no frigorífico.

Fonte



Relação de água e açúcar para a calda

Calda rala 1 litro de água e 300g de açúcar
Calda média 1 litro de água e 500g de açúcar
Calda grossa 1 litro de água e 800g de açúcar ou partes iguais (em litros: 1 litro de água e 1 litro de açúcar)

Receita Básica de Compota

1quilo de frutas (maduras e firmes)
300 a 500g de açúcar
1 cháv. (chá) de água

Lavar bem as frutas e cortá-las. Colocar camadas de frutas e açúcar numa tigela de louça ou vidro. Deixar repousar uma noite (forma uma calda). Levar ao lume a fruta com a calda e a água, deixando ferver 5 minutos. Colocar num frasco esterilizado e ferver em banho-maria 10 a 15 minutos. Retirar as bolhas de ar com faca de aço inoxidável e fechar bem. Deixar ferver até completar o tempo de cozimento, de acordo com o tamanho do frasco.

Tabela de cozimento
Frasco de meio litro: 15 minutos
Frasco de um litro: 30 minutos
Frasco de dois litros: 1 hora





Compotas são frutas em calda. Podem ser feitas para utilização imediata, colocadas em recipientes comuns, em geladeira. Mas a conservação desses doces, fora de refrigeração, exige armazenagem em vidros de boca larga, esterilizados, com tampas bem vedantes, também esterilizadas passando por um processo de pasteurização. Dessa maneira, com bastante higiene e pasteurização, esses doces poderão ser conservados, fora da geladeira, por período de tempo mais longo (um ano ou mais).

De acordo com o paladar, os doces poderão conter maior ou menor quantidade de açúcar. Hoje em dia, busca-se doce de melhor qualidade, com menos açúcar, ou com uso de adoçantes.

Diversas frutas se prestam para excelentes doces: goiaba, jaca, manga, limão, laranja, figo, carambola, mamão, caju, araticum, pêssego, abacaxi...

Para doces de jaca, manga, goiaba, laranja, limão e mamão verde é preciso preparar a calda de antemão e figo, caju e carambola são colocados em água quente junto com o açúcar: são doces mais demorados (levam, às vezes, um dia inteiro em fogo baixo ou algumas horas por dia, em três ou quatro dias).



Compota de Manga

2 litros de água
1,6 quilos de açúcar cristalizado
canela (folhas ou rama)
6 mangas grandes, sem fibras, cortadas no sentido do comprimento.

Levar ao fogo, em tacho de cobre ou panela grande, a água, o açúcar e canela para fazer uma calda grossa. Ao atingir o ponto de fio, colocar as mangas e desligar o fogo. Com cuidado, retirar os pedaços de manga para vidros previamente esterilizados, ainda quentes, e despejar a calda até 1 cm antes da borda. Fechar bem e ferver em banho-maria, por 40 minutos, em fogo médio.

Compota de Goiaba

2 litros de água
1,6 quilos de açúcar cristalizado
3 quilos de goiabas firmes, sem casca e sem sementes, cortadas ao meio (canoinhas).

Levar ao fogo, em tacho de cobre ou panela grande, a água e o açúcar para fazer uma calda grossa. Ao atingir o ponto de fio, colocar as goiabas e deixar em fogo médio, até ficarem macias. Com cuidado, retirar os pedaços, arrumar em vidros, previamente esterilizados (ainda quentes), e despejar a calda até 1 cm antes da borda. Fechar bem e ferver em banho-maria, por 40 minutos, em fogo médio.

Reservar a polpa das sementes para fazer geléia.

Compota de Jaca

1 jaca dura sem sementes(abrir com a mão ou usar faca inox)
2 litros de água
2 quilos de açúcar cristalizado
cravos (fechados em um saquinho, para facilitar o descarte do tempero).

Levar ao fogo, em tacho de cobre ou panela inox, a água, o açúcar e os cravos, e fazer uma calda grossa. Acrescentar a fruta e deixar cozer por meia hora. Colocar em vidros esterilizados e quentes, tampar e colocar imerso totalmente, em água quente, numa vasilha funda, em fogo alto, até ferver. Abaixar o fogo e manter em água fervente, por 40 minutos.

Compota de Laranja

20 laranjas (só a entrecasca branca já curtida e escorrida)
2 litros de água
2 quilos de açúcar cristalizado
cravos (fechados em saquinho)

Levar ao fogo, em tacho de cobre ou panela inox, a água, o açúcar e os cravos. Fazer uma calda grossa. Acrescentar as frutas e deixar em fogo brando, até ficarem macias. Pode-se fazer em algumas horas por dia, em vários dias.

Proceder como de praxe, para colocar em vidros.

É hábito usar laranja-da-terra, toranja e pomelo por causa da entrecasca (parte branca) espessa. Mas, existem laranjas caipiras, de entrecasca espessa, que podem ser utilizadas. Colher a fruta de vez (nem verde, nem muito madura). Passar em ralo fino, para tirar uma casca bem fina (pode ser com uma faquinha bem afiada). Cortar a laranja em quatro e tirar o miolo. Colocar a entrecasca em uma vasilha com água, que deve ser trocada várias vezes, por três ou quatro dias, até perder o amargor.

Compota de Mamão Verde (fitas enroladinhas formando rosinhas)

Preparo da fruta: colher o mamão verde, novo e, em seguida, abrir e limpar. Esfregar uma esponja de aço (tipo bombril) para tirar a película externa. Cortar em tiras na longitudinal, colocar ao sol, numa apá (espécie de peneira), durante uma tarde, para murchar. As tiras murchas ficam maleáveis para enrolar. Uma vez enroladinha, passar uma linha grossa (com auxílio de uma agulha) pelo meio, para firmar. Fazer assim, cordões de rosinhas, com umas trinta em cada um. Feito isto, colocar primeiro em água fria, por duas horas e depois em água fervente para amolecer e tirar o amargor.

1 mamão verde de tamanho médio (rosinhas ou cubinhos)
2 litros de água
2 quilos de açúcar cristalizado
canela (folhas ou rama).

Levar ao fogo, em tacho de cobre ou panela inox, a água com o açúcar e canela e deixar ferver até o ponto de fio. Colocar as frutas e deixar ferver em fogo baixo, até ficarem transparentes.

Quando o doce estiver no ponto, retirar os fios, para colocar nos vidros e seguir os mesmos procedimentos para acondicionar.

Compota de Figo Verde

Preparo da fruta: colher a fruta quando tiver um pontinho roxo. Colocar em água quente e ferver até ficar macia. Esfriar rapidamente, em água fria, e colocar num freezer, para congelar. Ao retirar do freezer, passar em água corrente, retirando a casca peluda. Voltar o figo ao fogo, em água fria, deixar ferver, para voltar a cor do fruto.

2,5 quilos de figos já preparados
2 litros de água
2 quilos de açúcar cristalizado
canela (folhas ou rama)

Levar ao fogo, em tacho de cobre ou panela inox, a água com o açúcar e a canela. Quando estiver fervendo, colocar as frutas escorridas, porém quentes. Deixar cozer, em fogo brando, até amolecer. Acondicionar em vidros, conforme procedimento já explicado.

Para secar os figos: reforçar a calda e depois que estiver bem grossa e os figos bem intumescidos, cheios de calda, passar por peneira, deixar secar ao sol e passar por açúcar refinado ou cristalizado, a gosto.

Compota de Caju

Preparo da fruta: Colher a fruta madura e com uma faquinha bem afiada retirar as caretas (pontos duros do cabinho e da inserção da castanha). Furar bem a fruta e espremer com a mão, com cuidado, para retirar o sumo.

2,5 quilos de cajus já preparados
2 litros de água
2 quilos de açúcar cristalizado.

Levar ao fogo, em tacho de cobre ou panela inox, a água com o açúcar. Quando estiver fervendo colocar as frutas.

Deixar ferver e abaixar o fogo. Quanto mais tempo o caju ficar no fogo, mais avermelhado ficará o doce.

Acondicionar em vidros, conforme procedimentos já explicados.

Para secar o caju, reforçar a calda e depois que estiver bem grossa e os cajus bem intumescidos, cheios de calda, passar por peneira, deixar secar ao sol e, se preferir, passar por açúcar refinado ou cristalizado.

Compota de Carambola

2,5 quilos de carambolas inteiras ou cortadas na transversal formando estrelinhas
2 litros de água
2 quilos de açúcar cristalizado
cravos (fechados em saquinhos)

Levar ao fogo, em tacho de cobre ou panela inox, a água com o açúcar. Quando estiver fervendo colocar as frutas. Deixar ferver e abaixar o fogo. Deixar cozer em fogo brando, até as frutas ficarem macias. Acondicionar em vidros, conforme procedimentos já explicados.

A carambola em tirinhas, seca ao sol fica ótima. Todas as frutas em calda podem sofrer o processo de secagem.


Fonte

Diferença entre Doces, Compotas, Geleias, Conservas e Marmeladas

iguaria-doce-compota-geleia-conserva
Uma das formas mais deliciosas de preservar alimentos é criar conservas, especialmente se for uma baseada em açúcar (em oposição a usar sal, óleo, vinagre, gordura, desidratado, congelado, curado, etc), que é a base de doces, compotas, geleias, conservas e marmeladas.
Então qual é a diferença entre um doce, uma compota, uma geleia, uma conserva e uma marmelada?
  • Doce ( Produto Fervido de Açúcar com Pedaços de Frutos )
    Um doce é um produto açucarado, criado por ferver açúcar com um fruto que tende a não se desfazer totalmente, dai doces tendem a ter pequenos pedaços de fruto. Exemplos comuns são o doce de tomate ou de cenoura.
  • Compota ( Puré de Fruto Açucarado )
    As compotas são outro tipo de conserva, feitas com frutos e ou vegetais inteiros ou em pedaços, cozidos aos pedaços em açúcar e algum líquido, que pode ser água ou sumo de fruta que ao cozinhar tendem a desfazer-se e são consumidos como um puré. Exemplos comuns são compota de maça, abobora ou casca de laranja.
  • Geleia ( Sumo de Fruto Açucarado e Gelificado )
    A geleia é um tipo especial de conserva em que os frutos são cozidos com bastante líquido, normalmente em sumo de fruto, mas também pode ser com vinho ou água, e é claro com açúcar, que depois é coado e se torna num gel translúcido quando arrefece, dai o nome Geleia. Exemplos comuns são geleia de morango, geleia de limão, geleia de laranja ou geleia de framboesa.
  • Conserva ( Fruto ou Pedaços de Fruto Preservados numa Calda )
    Uma conserva é quando se trata de preservar um fruto inteiro ou parcialmente partido, numa calda açucarada, isso pode envolver cozinhar ou não o fruto. Exemplos comuns são conserva de pera, conserva de pêssego ou conserva de ananás.
  • Marmelada/Goiabada ( Puré Sólido do Marmelo ou Goiaba cozidos em Açúcar )
    A marmelada/Goiabada é um puré cozido com açúcar em partes iguais com o fruto com o objetivo de o conservar, normalmente tem uma consistencia sólida, devido á marmelada e goiaba terem tanta pectina, mesmo que é possivel fazer-se versões mais moles, basta não cozinhar tanto, tornando-se mais numa compota de marmelo ou compota de goiaba. A marmelada  é criada a partir do marmelo e é uma especialidade da doçaria regional portuguesa (marmelada de Odivelas) e a goiabada é uma especialidade brasileira criada a partir da goiaba.
Um ponto extra importante para salientar em relação a este género de conservas é o papel que o açúcar desempenha:
Ajuda na Integridade da Conserva
Com o cozimento do vegetal ou fruto com o açúcar, este modifica a química e a estrutura da conserva, o aquecimento ajuda a pectina a unir-se com o açúcar e a criar o gel que cria a conserva.
Isto ganha relevo quando se está a criar uma conserva com pectina adicional, se reduzires a quantidade de açúcar vais criar um molho e não vais conseguir criar o gel que é a base de qualquer conserva, não interessa quanta pecticina acrescentas a mais.~

Açúcar é um Conservante
Produtos com elevado nível de açúcar têm uma vida útil muito mais longa do que aquelas com pouco ou nenhum açúcar adicional. Isto significa que um fruto que naturalmente tem pouco açúcar não se vai conservar por tanto tempo, logo frutos preservados numa calda leve, não aguentam tanto tempo que frutos preservados numa calda bem forte rica em açúcar.
Isso também e um ponto importante quando queres fazer conservas com adoçantes ou com menos açúcar, isso vai de certeza diminuir o tempo de vida da conserva, a regra é quanto mais açúcar melhor se conserva, o importante é atingir o equilibro entre sabor e conservação.

Fonte

quinta-feira, 4 de Setembro de 2014

Massa Brick


A massa brick tem uma utilização muito versátil, podendo ser aplicada em receitas doces ou salgadas. Consiste numa espécie de massa folhada, muito fina e quebradiça, com origem na Tunísia, também conhecida como malsouka. Em traços gerais, é idêntica à massa filo, mas com uma textura mais porosa.
Dependendo da receita em que é aplicada, pode usar-se simples ou em camadas. Encontra-se à venda normalmente em rolo de folhas circulares, mas pode fazê-la em casa, seguindo as indicações abaixo.



Ingredientes:
½ colher (chá) de sal
2 chávenas (chá) de água
2 chávenas (chá) de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de óleo vegetal

Preparação:
Misture todos os ingredientes até obter um preparado homogéneo e deixe descansar durante meia hora.
Coloque uma frigideira antiaderente sobre uma panela de água a ferver, de forma a que fique bem ajustada para o vapor não sair (como no banho-maria).
Pincele a massa na frigideira, sem a untar.
Quando estiver cozida, solte as bordas com delicadeza, retire a folha brick da frigideira e mantenha-a coberta para não ressecar. Repita o processo até terminar a massa.

Tarte Tatin de Amoras


1 base de massa folhada
200g de amoras
4 colheres de sopa de açúcar mascavado
1/2 colher de chá de canela
1 colher de sopa de creme vegetal

Numa frigideira que possa ir ao forno coloque a manteiga com o açúcar e a canela. Mexa até que o creme vegetal esteja derretido. Junte as amoras e deixe cozer durante 5 minutos.
Retire a frigideira do lume e cubra as amoras com a base da massa folhada. Faça um buraco no centro da massa folhada para que os vapores saiam durante a cozedura. Leve ao forno durante 20 minutos.
Retire a frigideira do forno e vire a tarte sobre um prato. Este deve ser um gesto rápido para que as amoras não caiam da tarte.

fonte cozinha100limites

quarta-feira, 3 de Setembro de 2014

"Caviar" de Beringela II


Combina na perfeição com o azeite, tomate, alho e cebola, fazendo uma verdadeira parceria mediterrânica, promotora de saúde e de prazer gustativo. A esta mistura de beringela assada, misturada com tomate, cebola, azeite e ervas, chama-se caviar de beringela e serve-se fresco, como creme de barrar.

Ingredientes

. 2 berinjelas com pele
. 1 pimentão vermelho com pele
. 1 dente de alho picado
. 1 pitada de pimenta vermelha
. 1 pitada de pimenta-do-reino
. 8 colheres (sopa) de azeite de oliva
. Sal a gosto

Modo de preparo

Espete as berinjelas e o pimentão em um garfo e leve-os diretamente à chama do fogão. Deixe tostar bem a pele de cada um até ficarem bem pretas e enrugadas.

Retire da chama e, embaixo de um fio de água, retire com as mãos as peles queimadas. Ponha sobre uma tábua o pimentão, as berinjelas e o alho  e bata-os juntos com uma faca pesada, até ficarem com a consistência de patê.

Tempere com o sal, a pimenta vermelha e a pimenta-do-reino e adicione o azeite aos poucos. Mexa bem e sirva com salada de folhas verdes ou torradas ou com minipanquecas.

Dica: queimar a berinjela e o pimentão na chama do gás acrescenta um leve sabor defumado a seu patê.


***
Para retirar aquele desagradável sabor a acre da beringela basta que, antes da utilizares, polvilhes a polpa com sal, deixando-a assim durante alguns minutos passando-a de seguida por água corrente. E já está pronta a utilizar...

Lasanha de Beringela


Ingredientes:
2 beringelas grandes (*)
3 colheres de sopa de tofu picado
folhas de manjericão
100 ml de molho de tomate caseiro
azeite
sal
pimenta

Modo de Preparo:
Corte as beringelas em fatias finas, no comprimento, e grelhe dos dois lados, acrescentando um pouco de sal e pimenta. Reserve. Pode fazer com as beringelas em cru temperando com sal e pimenta.(*)
Unte um pirex rectangular com azeite e disponha uma camada de beringelas, um pouco do molho de tomate, tofu, manjericão e azeite. A última camada é de molho de tomate salpicado com tofu. Asse no forno até dourar.

Para temperar, além do azeite uso sempre óleo de linhaça.

(*) Para preparar e retirar o gosto amargo da beringela, deve cortá-la e esfregá-la com sal. Ou então,  pode deixá-la coberta com água e sal, limão ou vinagre, durante 15 a 20 minutos. Fica pronta para cozinhar.

sábado, 30 de Agosto de 2014

Bruschettas de Cogumelos


Ingredientes
100g de cogumelos Paris frescos
200g de cogumelos Shimeji frescos
400g de pão italiano fatiado
2 colheres de sopa de creme vegetal
2 colheres de sopa de azeite extra virgem
2 dentes de alho picado
Sal e pimenta do reino, a gosto
Folhinhas e ramos de tomilho para decoração.

Preparo
Cortar os dentes de alho, reservar.
Higienizar os cogumelos. Cortar os Paris em lâminas finas, e somente separar os Shimeje , reservar.
Aquecer o forno, e torrar as fatias de pão italiano. Reservar.
Em uma frigideira, derreter o creme vegetal e dourar levemente o alho, em seguida colocar os cogumelos , fritar até estarem levemente dourados.
Temperar com sal e pimenta do reino, colocar as folhinhas de tomilho, retirar do fogo. Reservar.
Colocar os cogumelos em cima das torradas, regar com azeite e decorar com ramos de tomilho.
Servir em seguida.

Roll de Courgette/Abobrinha com Tomate Seco e Rúcula


Ingredientes

Courgettes/Abobrinhas marinadas

3 courgettes/abobrinhas italianas do mesmo tamanho
1/4 de cháv/xic (chá) de azeite
2 limões
Sal e pimenta do reino a gosto

Recheio
. 1/2 maço de rúcula baby
. 300 gramas de tomates secos partidos ao meio
. 100 grs de tofu temperado
. 2 colheres de sopa de creme de leite de soja
. 2 colheres de sopa de hortelã picadinha

Preparo

Courgettes/Abobrinhas marinadas

Cortar a abobrinha no sentido do comprimento em fatias de 0,5 cm de espessura.
Misturar o suco de limão, o azeite, o sal e a pimenta do reino.
Acrescentar essa marinada as abobrinhas fatiada e reservar na geladeira por 15 minutos até ficarem macias.

Recheio e montagem
Misturar o tofu já temperado com a hortelã e o creme de leite.
Para montar coloque uma colherinha do creme acima com a hortelã o tomate seco, uma folha de rúcula, enrolar e prender com um palito. Sirva frio.

Conserva de Pepinos


Ingredientes

1 kg de pepino pequeno
água à temperatura ambiente
3 folhas de louro
pimenta preta em grão a gosto
sal a gosto
1 litro de vinagre branco
1 cebola grande cortada em rodelas

Lave os pepinos e retira as duas extremidades. Reserve. Em frascos próprios para conservas você coloque os pepinos um a um e vá adicionando algumas fatias de cebola até que o frasco esteja cheio.

Coloque até metade do frasco de vinagre branco, acrescente a pimenta, as folhas de louro, o sal e complete o resto com a água. Tape e coloque com a tampa para baixo num tacho grande com água fria, leve ao lume para ferver 15 minutos.

Com esse processo a conserva vai ser fechada a vácuo e vai durar por muito mais tempo. Esse processo pode ser feito em qualquer tipo de conserva eo prazo de validade gira em torno de seis meses.

DICAS:
Esta mesma receita pode ser usada para todos os legumes, excepto com a beterraba que precisa levar uma fervura antes para ficar mais macia.
É uma maneira de comer legumes fora da estação por um preço bem acessível, fazendo economia.
Depois de aberto conserve no frigorífico/ geladeira para que não estrague.

receita de mundodastribos

Conserva de batata com alecrim


· 1 kg de batata pequena
· 1 cebola grande picada
· 3 colheres (sopa) de alecrim picado
· 1/4 de cháv/xic (chá) de vinagre
· 1/2 xícara (chá) de água
· 1 xícara (chá) de azeite
· Sal e pimenta dedo-de-moça picada a gosto

Lave bem as batatas e cozinhe na água com sal até ficarem macias e firmes. Escorra e deixe esfriar.

Molho
Misture a cebola, o alecrim, o vinagre, a água, o azeite, o sal e a pimenta. Junte a batata, tape o recipiente e deixe no mínimo 3 horas antes de servir.

Dica: Quanto mais tempo no molho, mais saborosa fica. Sirva como entrada ou aperitivo.

Validade: Fechada a vácuo o prazo de validade gira em torno de seis meses.
 Depois de aberto conserve no frigorífico/ geladeira para que não estrague.

sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

Salada de Trigo e Beterrabas com Vinagrete


ingredientes

300 gramas de trigo em grãos
2 beterrabas medias (ou 350 gramas aproximadamente)
1 colher de azeite
¼ copo de vinagre de vinho tinto ou balsâmico
1/3 copo de azeite
1/3 copo de óleo de girassol
1 colher de sopa de alcaparras
½ limão (sumo/suco)
½ copo de salsa picada
¼ copo de cebolinha picada

Na véspera, ponha o trigo num recipiente com bastante agua e deixe-o de molho pelo menos 12 horas.
No dia seguinte, prepare as beterrabas (que alias podem ser assadas de véspera também). Ponha-as num pequena travessa, entorne o azeite por cima. mexa-as bem para ficarem bem envoltas pelo azeite e cubra a travessa com papel alumínio. Leve ao forno por 30 minutos pelo menos ou até uma faca entrar facilmente na beterraba. Isso pode levar de 30 até 60 minutos dependendo do tamanho, do forno, do frescor etc. Retire do forno e deixe esfriar.
Tire a pele da beterraba e pique em pedaços pequenos.  Ponha os pedaços numa panela media e acrescente 4 copos de agua. Leve ao fogo baixo e deixe fervilhar por uns 3 minutos. Retire do fogo, escorra as beterrabas guardando o liquido cor-de-rosa.  Ponha esse liquido numa panela, junte o trigo escorrido e leve ao fogo médio por uns 45-50 minutos ou até os grãos estarem cozidos. Você provavelmente vai ter que acrescentar mais agua à medida que o trigo for secando. Quando o trigo estiver cozido, escorra e passe agua fria para cessar o cozimento. Reserve.
 Junte a metade da beterraba picada ao trigo cozido. A outra metade da beterraba ponha na vasilha do liquidificador. No liquidificador junte também o vinagre, o azeite de oliva, o óleo, as alcaparras  e o sumo/suco de limão. Triture bem até formar um creme. Prove e acerte o tempero com sal e bastante pimenta do reino.
  Quando o trigo estiver à temperatura ambiente, regue-o com o molho. Adicione a salsinha e a cebolinha picada, e sirva imediatamente, ou leve a geladeira em recipiente fechado para deixar a salada mais fresca. Pode guardar esta salada 3 a 4 dias no frigorífico/ geladeira se propriamente condicionada.

receita adaptada de simplesmentedelicia

Risoto de cereais germinados com flores de cosmos!




Ingredientes:

1 cháv/xic de trigo germinado no ar (clique aqui e aprenda)
1 cháv/xic de aveia em grão germinada na água (clique aqui e aprenda)
1 tomate médio
2 maxixes(*)
1 cebola média fatiada em rodelas
manjericão picado à gosto
1 colher de chá de levedo de cerveja
sal
azeite

Modo de Fazer:

Cortar o tomate e os maxixes em quadradinhos. Pique o manjericão.

Bater 1/3 da aveia no liquidificador com um pouco de água e o levedo de cerveja (dá um gostinho de queijo no risoto). Não precisa coar. Vai criar uma nata branca  homogênea e grossinha que dá uma liga ótima. 

Agora, vamos para os temperos: junte a cebola fatiada, o manjericão e o tomate no fundo de uma panela de barro. Você pode amornar no fogão (com as mãos dentro da panela mexendo sem parar para controlar a temperatura) ou deixar a panela com os ingredientes a manhã toda tomando banho de sol... 

Na foto, abaixo, deixei meus temperos e sementes amornando ao sol....
(se quiser cubra a panela com um pano de prato ou voal)


Quando estiver morninho está pronto!!!!

Após amornados os temperos, junte todos os ingredientes: as sementes, o tomate, o maxixe e o leite de aveia, sal e azeite. Tá pronto seu risoto! 


Se quiser amornar todo os ingredientes... É com você mesmo!

Lembre-se que os alimentos vivos suportam uma temperatura de até 43º. Suas mãos funcionam como termômetro do fogo da vida. 

O calor que não machuca você, não machuca a sua comida! Amornar é um costume Guarani de dar mais AMOR do que CALOR aos alimentos...

Que os risotos tragam bons risos para vocês!!!

Aline Chaves
Pesquisadora dos ciclos alimentares e alquimista de vegetais vivos

(*) Maxixe

Molho para Saladas

8 colheres de sopa de azeite.
4 colheres de sopa de vinagre.
sal e pimenta q.b
1 colher de sopa de mostarda.
2 colheres de sopa de melaço

#

Sumo/suco de 1 limão
1 colher sopa de mostarda
2 colheres de azeite de oliva
1 colher de chá de orégano
2 dentes de alho médios esmagados
Sal marinho ou flor-de-sal a gosto
Meia colher de chá de cebolinho

Ponha tudo dentro de um frasco limpo com tampa, feche o frasco e agite-o muito bem até obter um molho homogéneo.
ou
Bata todos os ingredientes do molho no processador/ liquidificador até formar uma mistura homogénea.
Prove para rectificar o tempero.  Mantenha no frigorífico/geladeira

#

molho de tofu e hortelã

1 cháv/xic de tofu
5 folhas de hortelã
1 colher (sopa) de azeite extra virgem
1 colher (sopa) de água
Sal marinho ou flor-de-sal a gosto

Bata todos os ingredientes do molho no processador/ liquidificador até formar uma mistura homogénea.  Mantenha no frigorífico/geladeira

#
molho de tofu com sésamo

175 g de tofu, escorrido
2 colheres (sopa) de sesamo/gergelim torrado
1 colher (sopa) de molho de soja
1 colher (sopa) de vinagre de cidra
Sal marinho ou flor-de-sal a gosto

No liquidificador coloque o tofu, as sementes de gergelim, o molho de soja, o vinagre e o sal. Bata até obter um molho homogéneo. Mantenha no frigorífico/geladeira


Molho de Azeite com Morango
1/2 cháv/xic  (chá) de azeite balsâmico
1/2 cháv/xic  (chá) de azeite
1/2 cháv/xic  (chá) de morangos amassados

Molho de Mostarda e Melaço
4 colheres (sopa) de mostarda
2 colheres (sopa) de melaço
1 Iogurte Vegetal Natural
1 colher (chá) de sal

Molho de Hortelã
1/2 cháv/xic  (chá) de hortelã
1 dente de alho
3 colheres (sopa) de suco de limão
1/2 cháv/xic  (chá) de azeite

Molho Gengibre
3 rodelas de gengibre
1/2 cháv/xic   (chá) de azeite
meia colher (sopa) de Sal, cebola, alecrim, alho, pimenta-do-reino, aipo
2 colheres (sopa) de vinagre

Para os molhos de gengibre e hortelã, coloque os ingredientes num processador de alimentos ou liquidificador e triture até ficar homogéneo.
 Para os molhos de azeite e mostarda, coloque os ingredientes numa tigela e misture bem.

Salada de Alface com Molhos variados


Salada de alface lisa, alface frisé, rúcula e radicchio com molhos de:
Morango com Azeite balsâmico; Mostarda e Melaço, com Iogurte Vegetal; Molho de Hortelã e Molho de Gengibre

Ingredientes

Folhas
meio maço de alface lisa
meio maço de rúcula
meio maço de alface frisé
1 maço de radicchio

Molho de Azeite com Morango
meia xícara (chá) de aceto balsâmico
meia xícara (chá) de azeite
meia xícara (chá) de morangos amassados


Molho de Mostarda e Melaço
4 colheres (sopa) de mostarda
2 colheres (sopa) de melaço
1 pote de Iogurte Natural Integral
1 colher (chá) de sal

Molho de Hortelã
meia xícara (chá) de hortelã
1 dente de alho
3 colheres (sopa) de suco de limão
meia xícara (chá) de azeite

Molho Gengibre
3 rodelas de gengibre
meia xícara (chá) de azeite
meia colher (sopa) de Sal, cebola, alecrim, alho, pimenta-do-reino, aipo
2 colheres (sopa) de vinagre

Modo de Preparo

Folhas:
Coloque as folhas em uma travessa de servir.

Molhos:
Para os molhos de gengibre e hortelã, coloque os ingredientes em um processador de alimentos ou liquidificador e triture até ficar homogêneo. Para os molhos de aceto e  mostarda, coloque os ingredientes em uma tigela e misture bem. Sirva os molhos com a salada.

Salada de Abacate com Pesto e Rúcula


ingredientes

2 cháv/xic bem cheia de manjericão
½ cháv/xic de azeite extra-virgem
3 colheres de pinhões/pignoli ou nozes
2 dentes de alho picados
Sal a gosto
½ cháv/xic de parmesão vegan
2 colheres de sopa de queijo vegan ralado
3 colheres de sopa de creme vegetal à temperatura ambiente

½ abacate maduro porem firme
1 molho de rúcula, lavada e seca
½ cebola roxa
2 tomates bem maduros
1 limão
Sal e pimenta

modo de preparo
Para o pesto: no processador, ponha o manjericão, o sal, o alho, os pinhões/pignoli(ou nozes) e o azeite. Triture bem até formar um creme. Com uma espátula, limpe as laterais e triture mais um pouco para uniformizar o molho. Ponha num outro recipiente e acrescente os queijos. Misture com cuidado e por fim, delicadamente, ponha a manteiga misturando com uma espátula. Eu costumo mistura o creme de vegetal à mão pois acho que faz diferença na consistência.
Corte o abacate em fatias de aproximadamente 2 dedo de espessura e ponha-as logo no sumo/suco de limão para não escurecerem, tempere com sal e pimenta. Molhar todo os lados do abacate com o sumo/suco. Reserve.
Parta os tomates, retire as sementes e corte em fatias finas. Ponha junto com o abacate. Com uma faca afiada, parta a cebola roxa o mais fino possível e reserve com os tomates.
Aqueça/esquente o grill. Retire as fatias de abacate do sumo/suco e pincele um pouco de azeite por cima. Grelhe as fatias de cada lado uns 2 minutos. O tempo certo vai depender da qualidade do abacate. Cuidado para não grelhar demais ou a fruta vai se desmanchar. Pode também grelhar o tomate e a cebola.
 No prato de servir, coloque a rúcula limpa e seca. Escorra os tomates e as cebolas do molho e ponha por cima. Enfeite com as fatias de abacate e por cima, ponha colheradas de pesto.
Sirva imediatamente com muita Flor de Sal.